Por que você deveria jogar Death Stranding em tempos de Coronavírus?

Atualmente o mundo vive em total isolamento e colapso por conta do Coronavírus, o COVID-19. Esta pandemia global já levou muitas vidas e sua proliferação ganha força a cada dia que se passa. Até o dia de hoje já foram registrados um total de quase 417 mil casos e perto de 19 mil mortos em todo o mundo. Deste modo, a medida mundial de quarentena e isolamento foi a atitude necessária para este evento global. 

Tudo que você precisa saber sobre o Coronavírus (COVID-19)

Em consequência, o mundo vive em total quarentena e isolamento ocasionando um cenário de total escassez. Em suma, esta realidade a qual vivemos já foram criadas nos cinemas e nos vídeos games. Filmes como: Eu sou Lenda e games como The Last of Us transmitem esta realidade de escassez e total isolamento, embora não seja o espelho de nossa real situação mundial. 

No entanto, um jogo em 2019 soube melhor representar esta realidade na qual o mundo vive hoje. Estou falando de: Death Stranding

Desconexão social e Isolamento

Primordialmente, o game apresenta uma temática pós-apocalíptica onde o mundo sofre com um fenômeno chamado: Death Stranding. Este evento cataclísmico quebrou todas as ligações entre as nações seja ela social, seja ela física. Nesta realidade o mundo vive em um verdadeiro colapso sem quaisquer tipos de conexões e interações. Aos remanescentes, só restou  total isolamento do meio meio exterior em abrigos como prevenção das consequências deste fenômeno, os BT’s e a Timefall. Dito isso, em meio a esta realidade vazia e desconexa socialmente, um homem tem a missão de trazer de volta a realidade a qual o mundo pertencia. 

Death Stranding, Coronavírus

Por incrível que pareça, Death Stranding consegue emular toda esta situação que nos encontramos atualmente, recolhidos e sem qualquer interação. Mas seria isso uma coincidência ou um presságio do mestre Hideo Kojima através de seu game?

Coincidência ou presságio, Death Stranding melhor representa nossa atual situação. 

Convenhamos, o gameplay de Death Stranding nos deu muito tédio durante nossa jogatina. Calma lá, antes de qualquer estresse por conta desta afirmação, o game não deixa de ser uma obra prima, porém tem suas falhas. Retomando, a experiência proposta pelo o título transmite ao jogador um sentimento de solidão pertinente em toda a jornada. De acordo com Kojima, este felling é proposital para que os jogadores sentissem este fardo do que é está isolado e desconectado do contato humano. Se compararmos com a situação atual de nossas vidas, estamos vivendo um momento de total desconexão social e solidão dentro de nossas casas. Onde o tédio e a falta do contato humano nos importunam a cada dia desta quarentena. 

No game, os sobreviventes encontram refúgio em seus abrigos e a única forma de contato com Sam é por holograma. De fato, há uma desconexão social como forma de prevenção. Esta realidade virtual não se distancia da qual presenciamos hoje. A população se encontra recolhida em seus abrigos (lares) limitados ao comprimento e as devidas interações. Assim, o contato e a interação social é feita de forma digital (hologramas no game) nos deixando órfãos do contato humano. 

Death Stranding, Coronavírus

Outro detalhe que muito se assemelha a Death Stranding é o fato de evitarmos sair de nossas casas. Esta medida tomada pela a OMS tem como intuito evitar o contato com o Coronavírus, assim diminuído sua propagação. Em Death Stranding, a ameaça que assola os sobreviventes desta realidade virtual são: a Timefall e os BT’s. Estas consequências ocasionadas pelo o fenômeno Death Stranding causaram danos tanto no ambiente, quanto nos seres humanos. Muitas pessoas foram atingidas pelo os males que este fenômeno deixou no mundo. Assim, o que restou foi a conscientização dos sobreviventes. 

Mas afinal, porque você deveria dar uma chance para Death Stranding em tempos de Coronavírus? 

Em algumas entrevistas Kojima foi persistente em dizer que depois de um certo tempo seu game seria visto de uma forma diferente. Se isso foi um presságio para uma maior empatia com o jogo, devido atual situação a qual nos encontramos, ou foi algo nada relacionado, não sabemos. 

Mas fato é, que a mente mirabolante deste japonês tem o costume de prever acontecimentos de nosso mundo real em seus jogos. Um grande exemplo desta prática foi com a franquia Metal Gear Solid. Em Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty, lançado em 2001, Kojima previu uma crescente disseminação de informações erradas de militares não tripulados e monitoramento do governo. Dito isso, enquanto Metal Gear Solid 2 levou 19 anos para prever o que aconteceria no mundo real, com Death Stranding foi preciso, apenas, quatro meses para trazer suas semelhanças com atual situação mundial.  As conexões foram tão grandes e semelhantes que o Twitter foi cenário de comparações entre o mundo real e o mundo de Death Stranding. 

Em suma, os aspectos presentes no título em reflexo com a nossa atual situação e com a do mundo são notórias. Deste modo, nestes dias de quarentena por conta do Coronavírus nada melhor do que jogar algo que reflita com a nossa realidade. Talvez, assim, você que não conseguiu ter empatia com o game passe a ter. 

Death Stranding lançou, oficialmente, em 8 Novembro de 2019 como um exclusivo de PS4. No entanto, uma versão para PC está programada para Junho deste ano. Confira nossa análise do game aqui. 

Confira tudo que rola no mundo dos games clicando aqui.

O post Por que você deveria jogar Death Stranding em tempos de Coronavírus? apareceu primeiro em Combo Infinito.